ARTIGOS

COLÁGENO

BENEFÍCIOS DO COLÁGENO 

O colágeno é uma proteína formada por três cadeias dos aminoácidos específicos glicina, prolina, hidroxiprolina e arginina, enroladas umas nas outras, formando uma tripla hélice. A sequência muitas vezes segue o padrão Gly-Pro-X ou Hyp-Gly-X, onde X pode ser qualquer um dos vários outros resíduos de aminoácidos.

A produção de colágeno é o resultado de uma complexa sequência de eventos bioquímicos no interior das células, seguidos por outros fora delas. Há quatro tipos de colágeno, numerados de I a IV. Eles diferem entre si pela estrutura química, pelo modo de associação entre suas moléculas, pelas funções que desempenham e pelas doenças que a sua má-formação e a sua produção excessiva ou insuficiente podem causar. 

O colágeno I é o mais abundante e está presente na pele, nos ossos, nos dentes e nos tendões. Apresenta-se sob forma de fibras grossas, sendo por isso o mais resistente a tensões. O colágeno II é encontrado nas cartilagens e produzido pelas células cartilaginosas. Como não forma fibras, só é visível com microscópio eletrônico. Associa-se a outras células da matriz extracelular, ligando-se fortemente à água. Ele funciona como uma esponja, cedendo água quando pressionado e voltando a forma primitiva quando a pressão cessa. Torna-se, assim, uma espécie de mola muito importante, que permite ao joelho, por exemplo, aguentar todo peso do corpo. Nas pessoas obesas, ele frequentemente se desgasta, o que causa problemas de locomoção. O colágeno III é constituído por fibras nas artérias, no músculo dos intestinos e do útero e em órgãos como o fígado, o baço e os rins. É produzido pelas células musculares e outros tipos de células. As fibras deste tipo de colágeno apresentam certa elasticidade, e por isto são sempre encontradas em órgãos de forma variável, como intestino, útero e nas artérias. O colágeno IV é formado por moléculas de colágeno que não se associam em fibrilas, mas prendem-se umas as outras pelas extremidades, formando uma rede semelhante a uma tela de arames. Ele se associa a várias moléculas não fibrosas da matriz extracelular e forma uma membrana contínua que separa certos tecidos. Em certas regiões desempenha o papel de filtro. Isto é bem evidente nos rins, onde filtra a urina a partir do sangue. É produzido pelas células epiteliais, musculares e pelas células dos capilares sanguíneos.

Cerca de 70% da pele é composta por colágeno e uma de suas funções essenciais é formar as fibras que dão sustentação à pele, fortalecendo os tecidos, e promovendo a elasticidade e firmeza à pele.

Alguns fatores como a glicação, causada pelo consumo exagerado de açúcar e carboidratos, tabagismo, excesso de sol e até mesmo o estresse pode causar uma diminuição na produção de colágeno, reduzindo a elasticidade e a hidratação da pele, causando rugas, flacidez, celulite e estrias.

O colágeno também está presente na fibra capilar e nas unhas, tornando-os mais fortes e auxiliando em seu crescimento.

Para facilitar a absorção no organismo um peptídeo de colágeno do tipo 1 é o colágeno hidrolisado, muito utilizado em cosméticos. Rico em aminoácidos essenciais à manutenção do equilíbrio fisiológico da pele e dos cabelos é indicado como fonte de aminoácidos, assim como, colaborar no aumento da quantidade de água promovendo a hidratação da epiderme e auxiliando na diminuição das rugas finas. Para os cabelos é um agente de performance em condicionamento, maciez e suavidade nos cabelos. Ele age aumentando a resistência dos fios de cabelo a estas agressões.

Referências:

Literatura do Colágeno Hidrolisada;

http://www.bolsademulher.com/corpo/colageno-e-essencial-para-pele-cabelos-e-musculos

http://www.dicasdemulher.com.br/os-beneficios-do-colageno-para-pele/

http://www.portaleducacao.com.br/biologia/artigos/1453/colageno-a-molecula-de-multiplas-funcoes


Artigo da equipe do ISIC com a colaboração e coordenação da Farmacêutica Patrícia Andrei SaslavskI

Voltar ➤