ARTIGOS

NANORESVERATROL

NANORESVERATROL: POTENTE AÇÃO ANTIOXIDANTE NO TRATAMENTO FACIAL

"Punica granatum seed oil (and) Resveratrol" é um blend de partículas contendo Óleo de Romã e Resveratrol nanoencapsulados. 

    

O Resveratrol é uma fitoalexina produzida por diversas plantas, como eucalipto, amendoim, amora e uvas. Na uva sua produção é estimulada pelo ataque de fungos, estresse (irradiação, calor e toxinas) e radiação ultravioleta. Portanto, ao se defender das agressões externas, a produção de resveratrol aumenta. Ele é sintetizado naturalmente sob duas formas isômeras: trans-resveratrol e cis-resveratrol, sendo o cis-resveratrol a molécula mais estável dentre as duas formas. 

O resveratrol pode ser encontrado em sucos de uva e, principalmente, em vinhos tintos.  Em virtude do processo de fermentação, de atividades enzimáticas e da presença de etanol, a concentração de resveratrol no vinho é maior do que no suco de uva. Como consequência de uma grande variedade de uvas utilizada para se preparar a bebida, a concentração de resveratrol em cada tipo de vinho também pode variar muito.

Apresenta atividade antioxidante através da inibição da atividade dioxigenase da lipoxigenase, e também como mimético do estrogênio, podendo substituir parcialmente este estrogênio nos tratamentos pós-menopausa. A atividade antiinflamatória do resveratrol deve-se a inibição da transcrição e atividade da ciclooxigenase (COX-1 e COX-2), inibindo também a síntese de tromboxinas, atuando como anticoagulante. O resveratrol atua sobre o câncer em diversas maneiras, uma delas é inibindo a cascata do ácido araquidônico, que pode induzir a gênese de tumores. Outra via é pela inibição da proteína Cquinase, um mediador chave na promoção dos tumores. Estudos indicam que o resveratrol pode induzir a apoptose, atuando como um agente antiproliferativo de alguns tipos de tumores.

O Resveratrol tem despertado o interesse do mercado cosmético devido suas propriedades, antioxidante e antiinflamatória, que auxiliam na prevenção do envelhecimento, auxiliando a elasticidade e firmeza da pele, além de seu efeito potencial como clareador de manchas. É um inibidor não competitivo da tirosinase, reduzindo a expressão desta enzima, a qual é muito importante no processo de melanogênese (processo de formação da melanina). Com a inibição na formação dessa enzima, inibe-se também a produção da síntese de melanina e com isso, ocorre a diminuição da transferência da melanina para os queratinócitos na epiderme, reduzindo a pigmentação da região.

 Um estudo realizado pela Universidade da Califórnia de Los Angeles (UCLA) indicou também que o resveratrol pode enfraquecer a bactéria que causa acne, inibindo o seu crescimento e proliferação na pele humana. Além disso, observou-se em testes que ao combinar o resveratrol com o peróxido de benzoíla é possível matar por completo a bactéria.


Referências:

Literatura do Ativo

ALVES, Audrei O. et al. Determinação de Resveratrol em Sucos de Uva no Brasil. 2005. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cta/v25n3/27008.pdf>. Acesso em: 28 out. 2015.

MORAES, Carla Aparecida Pedriali et al. Resveratrol para Cosméticos no Clareamento da Pele. 2015. Disponível em: <http://www3.sp.senac.br/hotsites/blogs/InterfacEHS/wp-content/uploads/2015/06/128_InterfacEHS_ed-vol_10_n_1_2015.pdf>. Acesso em: 28 out. 2015.


Artigo da equipe do ISIC com a colaboração da Farmacêutica Patrícia Andrei Saslavsky

Voltar ➤