ARTIGOS

TESTES EM COSMÉTICOS

TESTES DE SEGURANÇA E HIPOALERGÊNICO DE PRODUTOS COSMÉTICOS

Antes do lançamento de qualquer cosmético no mercado é necessário realizar testes para garantir a segurança do uso dele, evitando assim reações adversas pelo seu uso.

Considera-se reação adversa qualquer sinal ou sintoma desencadeado por um produto tópico usado de maneira correta. Entre as reações adversas cutâneas provocadas por estes produtos, destacam-se a dermatite eczematosa de contato, urticária, acne e manchas.

Dos testes de segurança, são realizados testes Clínicos de Irritabilidade Primária, Acumulada, Sensibilização Dérmica e Hipoalergênico, por Bioengenharia Cutânea.

A Bioengenharia Cutânea consiste no estudo das características biológicas, mecânicas e funcionais da pele através de medidas objetivas e criteriosas de algumas variáveis, por métodos não invasivos cientificamente comprovados, que não causam desconforto ao voluntário.

A Irritação é um processo inflamatório que ocorre na área de contato com o produto, podendo ocorrer após a primeira aplicação (irritação primária) ou com a continuidade do uso (irritação acumulada). É determinada por um dano tecidual agudo ou crônico de intensidade variada. É dependente da concentração dos ingredientes no produto final, da formulação como um todo, quantidade aplicada, frequência e modo de aplicação.

Já a sensibilização é um processo inflamatório que envolve mecanismo imunológico, do tipo celular, com tempo de contato variável, de alguns dias ou mesmo alguns anos, até que o organismo reconheça um ou mais ingredientes como alergênico. Em geral, é uma resposta que não ocorre nas primeiras aplicações, a não ser que o indivíduo já se encontre sensibilizado a um dos ingredientes do produto, podendo aparecer em outra área, diferente da área de aplicação. O processo alérgico pode decorrer tanto em função dos ingredientes isolados, quanto da interação entre eles no produto, formando novo componente.

As respostas de irritação e sensibilização do ponto de vista clínico são semelhantes, caracterizadas pela ocorrência de um ou mais dos seguintes sinais clínicos: eritema, edema, pápula e pústula. Diferenciam-se pelo fato da irritação ser dose dependente, enquanto que a sensibilização não: o indivíduo uma vez sensibilizado desenvolverá a reação a toda exposição ao(s) ingrediente(s).

Teste hipoalergênico é aquele em que se realiza todos os testes clínicos, para irritabilidade dérmica primária e acumulada, sensibilização cutânea, fototoxicidade e fotoalergia. Estes testes consistem em aplicações repetidas do produto na pele, e têm o objetivo de detectar possíveis irritações ou indução de sensibilização.

As condições experimentais adotadas, com produto aplicado sob apósitos, causam certa oclusão cutânea que favorece o contato dos componentes do produto com a pele. Caso algum componente apresente potencial irritante ou sensibilizante o mesmo seria facilmente comprovado por este método. No fototeste é feito irradiação do local dos apósitos na pele para pesquisa de fotossensibilização dérmica e de fototoxicidade dérmica onde ocorre um aumento da reatividade cutânea a luz ultravioleta. O tipo de apósito, o tempo de contato com a pele e as condições de uso dependem do produto teste. A área experimental escolhida (dorso direito ou esquerdo) é uma área mais homogênea, facilitando a avaliação do produto teste.

A cada dia o consumo de cosméticos aumenta, e por isso a preocupação com a segurança dos consumidores deve acompanhar este crescimento. Então é muito importante que as empresas realizem os testes de segurança, garantindo que os seus produtos não causem reações adversas e assim sejam de qualidade para atender ao público.


Artigo da equipe do ISIC com a colaboração da Farmacêutica Patrícia Andrei Saslavsky 

Voltar ➤