ARTIGOS

NANOTECNOLOGIA

NANOTECNOLOGIA E ATIVOS DE ÚLTIMA GERAÇÃO

Nano (do grego: anão) é um prefixo utilizado nas ciências para referir-se a uma parte em um bilhão, ou seja, um nanômetro é correspondente a um bilionésimo de metro. A nanotecnologia se estende ao domínio de partículas e interfaces com dimensões desta ordem, que são denominadas nanopartículas.


Figura 1 - Tipos de nanopartículas: (a) nanopartícula inorgânica, (b) nanopartículas poliméricas, (c) nanopartículas lipídicas sólidas, (d) nanossomas, (e) nanocristais ou pontos quânticos, (f) nanotubos de carbono e (g) dendrímeros.  Fonte: FARAJI, 2009.

Dentre os sistemas vesiculares comuns, estão os nanossomas, que encapsulam os ingredientes ativos e os separa fisicamente dos demais componentes de uma fórmula. Similares a uma emulsão, os nanossomas são derivados de fosfolipídios, que possuem uma parte de sua estrutura apolar e outra polar. Além disso, sua composição é similar à estrutura da membrana celular, o que faz com que estas partículas se agreguem naturalmente a superfície da pele, e sejam naturalmente, absorvidas, conforme representado na Figura 2 (DUTRA, 2010).


Figura 2 - Esquema de um nanossoma em contato com a superfície da pele. Após o contato do nanossoma com a pele (a), o princípio ativo é liberado (b), e a nanopartícula se funde com a pele (c). Fonte: DUTRA, 2010.

Esta estrutura é muito importante em relação à permeação, levando-se em conta que, embora as propriedades do estrato córneo sejam de grande importância no controle da permeação de substâncias pela pele, o veículo utilizado também pode influenciar. Existem diversos meios de facilitar esta permeação, como algumas substâncias químicas (estas podem causar lesões na pele), e métodos físicos como o ultra-som, bem como o aumento da concentração do ingrediente ativo. Porém a nanotecnologia é uma alternativa a estes métodos clássicos, pois além da concentração de uso ser menor, sua compatibilidade e tamanho facilitam a permeação do ativo até o local de ação (LEONARDI, 2004).

Vantagens do uso de Nanopartículas

Na área de cosmetologia, as principais vantagens das nanoestruturas são:

·  Aumentar o tempo de ação e a biodisponibilidade do ingrediente ativo;

·  Solubilizar ativos lipofílicos;

·  Melhorar a eficácia;

·  Facilitar a aplicação;

·  Reduzir os efeitos colaterais e a toxicidade (BARIL,2012).

As indústrias cosméticas têm desenvolvido diversos produtos que se destinam a proporcionar uma variedade de benefícios como hidratação, nutrição, brilho, entre outros. Para aumentar a eficácia destes produtos, facilitar a incorporação na formulação cosmética, diminuir a toxicidade, estabilizar os ativos, dentre outros, uma opção é utilizar os ativos na forma de nanopartículas, como os exemplos a seguir.

·  Citrus Aurantium Amara Fruit Extract (and) Diosgenin Argininate (and) Dihydromyricetin (and) Caffeine (and) Escin (and) Oryza Sativa Bran Oil - Nanopartículas lipofílicas para tratamento da celulite, que agem estimulando a microcirculação e termogênese da pele, tem potente ação lipolítica, além de ter ação antioxidante.

·   Cymbopogon Flexuosus Oil (and) Melaleuca Alternifolia Leaf Oil (and) Eugenia Caryophyllus Leaf Oil ? Blend de Óleos Essenciais encapsulados em nanopartículas lipofílicas, para reparação de unhas danificadas com aspecto opaco, esbranquiçado e quebradiço. Tem ação antifúngica, antimicrobiana, anti-inflamatória, antisséptica e analgésica.

·  Lavandula Officinalis Flower Oil (and) Cymbopogon Martini (Palmarosa) Oil (and) Rosmarinus Officinalis Leaf Oil (and) Butyrospermum Parkii Butter  - Blend de Óleos Essenciais rico em ácidos graxos encapsulados em nanopartículas de liberação gradativa, que apresentam atividade tonificante, condicionadora, antisséptica, reparadora, controladora da oleosidade e estimulante do crescimento, além de ser ultrahidratante dos fios, proporcionando elasticidade e maciez.

·  Polyquaternium-7 (and) Sericin (and) Guar Hydroxypropyltrimonium Chloride (and) Cetrimonium Chloride (and) Behentrimonium Chloride - Nanopartículas de sericina que se aderem à superfície do cabelo promovendo selamento das cutículas e reposição de massa proteica. Possui alta afinidade por outras proteínas, sendo capaz de se ligar à queratina da pele e dos cabelos, formando um filme resistente, hidratante e protetor, conferindo boas propriedades de barreira.

·  Lauric Acid (and) Myristic Acid (and) Punica Granatum Seed Oil (and) Resveratrol (and) Sorbitan Oleate - Nanopartículas com elevado potencial antioxidante atua na prevenção do fotoenvelhecimento, possui propriedades regeneradoras e hidratantes, melhora a elasticidade, da força e brilho à pele.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

BARIL, M. B1; FRANCO, G.; VIANA, R.; ZANIN, S. M Nanotecnologia aplicada aos cosméticos. Disponível em: <http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/academica/article/viewFile/30018/19403>. Acesso em: 20 fevereiro 2015.

DUTRA, Fábio Neri. O tratamento jurídico dos riscos produzidos por cosméticos baseados em materiais nanoestruturados. Disponível em: <http://lqes.iqm.unicamp.br/images/vivencia_lqes_monografias_dutra_tratamento_juridico.pdf>. Acesso em: 20 fevereiro 2015.

FARAJI, A. H., WIPF, P. Nanoparticles in cellular drug delivery. Bioorgan. Med. Chem. v. 17, p. 2950-2962, 2009. INSTITUTO DE TECNOLOGIA E ESTUDOS DE HIGIENE PESSOAL PERFUMARIA E COSMÉTICOS (Brasil).

LEONARDI, Gislaine Ricci. Cosmetologia aplicada. São Paulo: Medfarma, 2004. 324 p.


Voltar ➤